Smartstones, uma ideia que merece ser compartilhada

20150213151314-Feel-the-message

Essa semana a autora Luana Almeida, colaboradora do blog Plugitários publicou um pequeno artigo sobre Smartones. Trata-se de um dispositivo móvel elaborado para transmitir mensagens através de toques, vibrações e luz, para pessoas que possuem dificuldades para se comunicar, como idosos e autistas. No site do produto (http://www.smartstones.co/), eles dizem fazem um anuncio singelo: “A inspiração veio de alguém que não podia falar, e precisava enviar uma mensagem rapidamente. Nós percebemos o quão poderosa uma maneira mais simples de mensagens poderia ser – para todos.”* E solicitam: “Help us transform the world of communication.” Então, aqui estamos nós da massan-z ajudando. Divulgue essa ideia você também. 😉

Você pode conferir o post completo da Luana aqui no site do Plugcitários.

Até o próximo post!

Publicidade incentiva a economia de água

 Uma realidade que infelizmente todos vivemos, é a crise hídrica. No cenário publicitário, finalmente algumas marcas já estão pregando o seu consumo consciente.

Recentemente, publicitários que atendem a marca DECA, recriaram um antigo comercial, com a finalidade de mostrar a qualidade de suas torneiras, que são anti- vazamentos.

Outra marca que entrou nesta importante onda de pregar o uso consciente da água foi o sabão OMO, da Unilever, que lançou a campanha “#UmEnxagueBasta”.

No vídeo, um grupo de crianças aparece brincando em um reservatório totalmente seco. O locutor diz: “Não vamos deixar a água ser um sonho para eles.”

A proposta da marca é a diminuição de enxágues no momento de lavagens de roupas.

Além disso, nas redes sociais, uma equipe influenciadora compartilhará suas experiências com a finalidade de demonstrar pequenas atitudes que podem fazer a diferença na hora de economizar água.

FONTE: Meio&Mensagem

Página “Sinta-se Paulistano” critica comportamentos de quem é da capital paulista

Em tom bem humorado, página se propõe a ser “um manual para se passar por um legítimo paulistano”.

O que faz uma pessoa ser paulistana? Incluir no vocabulário cotidiano palavras como “meu”, “mano”, “bolacha”, “é nóis”? Bom, tudo isso e mais um pouco, porque quem nasceu em São Paulo tem hábitos que mais ninguém tem, criando um jeito todo especial de ser (ou não!). A página do Facebook Sinta-se Paulistano satiriza o lifestyle de quem vive na maior metrópole do país através de pôsteres divertidos que ensinam qualquer pessoa a se tornar um típico paulistano.

Algumas das críticas passam pela já famosa rixa entre paulistanos e cariocas, mas o time do “Sinta-se Paulistano” não é feito apenas por quem vem do Rio de Janeiro – além da carioca Carla Said, a equipe conta com o mineiro Dalton Campos, o paranaense Flavio Pucci e o paulista Paulo Lemes. O manual retrata a cidade com referência à onda gourmet na gastronomia, o excesso de trabalho, os hábitos um tanto quanto neuróticos, como buzinar eternamente no engarrafamento ou a fixação por programas que tenham uma enorme fila na porta, além de criticar a pressa na hora de andar, mesmo que seja no shopping center.

A ideia surgiu em 2013, com a pretensão de se tornar um manual impresso. O projeto acabou encostadinho em um arquivo no Google Drive, até que se transformou numa página. “Poderia até dizer que a ideia surgiu numa roda de bar, tomando uma cerveja. Seria bem mais bonito, mas não tanto paulistano. Não que o povo aqui não goste de bar e de cerveja. Gosta pra caramba. Mas gosta mais de trabalho”, brinca um dos criadores.

Confiram abaixo algumas sátiras:

1

5

4

6

2

3

Fonte: Brainstorm9
Redação: Blog Nem On Nem Off

Você já viu a identidade visual dos Jogos de Sochi?

Hoje, dia 07 de Fevereiro de 2014, começam oficialmente os Jogos Olímpicos de Inverno, que acontecem em Sochi, na Rússia. Esportes que são tão distantes da nossa realidade, devem passar menos despercebidos durante a realização do evento, já que emissoras abertas e fechadas do país estão apostando na transmissão das competições.

Por esse motivo, o blog da massan tenta trazer para o infernal verão brasileiro um pouco do frio russo. Mas calma, esse não é um post sobre patinação no gelo ou sobre curling. O assunto agora é a identidade visual desenvolvida pela Interbrand para os Jogos.

Imagem
                           Logo dos Jogos de Inverno 2014

O logotipo das Olímpiadas de Inverno de 2014 é o primeiro a ter um domínio de um site inserido em sua identidade – sochi.ru – e tem o objetivo de chamar a atenção das gerações mais novas e promover diálogos entre as diferentes nações.

O logo também foi pensado para as diferentes aplicações, tanto para grandes formatos, quanto para pequenas telas, reafirmando sua relação com as plataformas digitais.

Imagem

Mas nem todos aprovaram, acusam que a fucionalidade do endereço eletrônico na marca a deixou sem graça e muitos proporam um redesing do logo. E é claro que muitos desses projetos criticam a política russa contra os gays ( não tá sabendo do que estamos falando, clica aqui ) . A gente selecionou alguns trabalhos que usaram o desing como protesto e deixamos uma pergunta: o que você achou da marca de Sochi 2014?

ImagemImagemImagem

Long Tail: nem só de hits vive o mercado

Durante muitos anos imperou na indústria criativa os hits, os best-sellers e os blockbusters. O sucesso era definido por meio da lista dos mais vendidos ou pelo sucesso de bilheteria, e caso algum produto não alcançasse os números desejados era provavelmente esquecido e taxado de fracasso.

Mas será  que somente os hits são capazes de sustentar a indústria criativa?  O que parecia ser a lei máxima dos mercado literário, fonográfico e cinematográfico foi colocada em questão com surgimento da internet.

A Long Tail (Cauda Longa, em portuguêsé teoria apresentada por Chris Anderson, em seu livro A Cauda Longa – Do mercado de massa para o mercado de nicho. No livro, Anderson aponta que a internet deu origem a uma nova forma de produzir e consumir, na qual a receita total de uma multidão de produtos de nicho, com baixo volumes de vendas, é igual a receita total dos poucos grandes sucessos. Essa afirmação é representada pelo seguinte gráfico:

Image

                                    Esquema gráfico da Long Tail

Ou seja, muitos produtos e artistas segmentados têm o mesmo efeito que apenas um hit quando o assunto é lucratividade. E a internet que propiciou o surgimento dessa nova dinâmica mercadológica.

Por exemplo, seria inviável para uma loja de disco conseguir armazenar diversos álbuns segmentados em um espaço físico ou para uma livraria ter todos os livros dos mais variados temas. Entretanto com os arquivos digitalizados, fatores como espaço e localização são minimizados.

Logo, a possibilidade de hospedar arquivos em mp3, em e-books ou vídeos em streaming reduziu custos e facilitou a vida de muitos artistas e produtores independentes. Serviços como Netflix e ITunes são ótimos exemplos de como a teoria de Chris Anderson funciona e como a internet diversificou a oferta de entretenimento e contribuiu para segmentação de produtos.

Quer saber mais sobre a Long Tail? Clique aqui e acesse ao artigo que Chris Anderson publicou na revista Wired.

Ação de Conscientização no Trânsito – Projeto Umbigo

O Projeto Umbigo surgiu na massan-z com o intuito de promover ações sociais e de relacionamento com a comunidade e vizinhança das unidades da Newton.

O projeto iniciou-se com uma campanha de conscientização no trânsito, associando temas circenses a elementos do próprio tráfego de veículos. Foram distribuídos postais publicitários e sacos de lixo para motoristas, além de placas para garagens para moradores e comerciantes da região. A ação abrangeu também motociclistas e uma blitz conduzida por palhaços em semáforos próximos às unidades da Newton.

Toda a campanha foi registrada pela equipe de Rádio/TV da massan-z, desde o processo da produção do material que iria para rua até a ação no trânsito.

Confira abaixo imagens da Campanha de Conscientização no Trânsito do Projeto Umbigo:

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem